Página Inicial / ASSESSORIA DE IMPRENSA / ECONOMIA / Conta de energia no verde ao menos até março, diz Ministro Fernando Filho

Conta de energia no verde ao menos até março, diz Ministro Fernando Filho

O volume de chuvas acima da média desde o fim do ano passado deve fazer com que as tarifas de energia elétrica não subam para o consumidor brasileiro, pelo menos até o primeiro trimestre de 2018. A afirmação foi dada pelo ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho (sem partido), ontem, segundo informou a Itaipu, em comunicado. Coelho Filho visitou a usina hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR).

Segundo o ministro, as precipitações têm permitido a recuperação dos reservatórios das principais usinas hidrelétricas, o que levou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sinalizar que o regime de bandeiras tarifárias permanecerá verde (sem custo adicional) nos três primeiros meses do ano. As tarifas ficam mais caras (bandeiras amarela ou vermelha 1 e 2) quando falta chuva e as usinas térmicas são acionadas para atender à demanda.

“O sistema elétrico nacional é interligado e a gente veio de cinco ou seis anos de chuvas abaixo da média nos maiores reservatórios. Mas os resultados de novembro, dezembro e dos primeiros dias de janeiro de 2018 têm sido muito animadores”, avaliou o ministro pernambucano.

Fernando Coelho Filho cumpriu sua primeira agenda oficial na usina de Itaipu em um dos melhores momentos operacionais da binacional. A usina registrou no início deste ano a sua melhor quinzena histórica, com produção de mais de 4,7 milhões de megawatts-hora (MWh). Itaipu já vinha de um dezembro em que havia seu melhor mês histórico e poderá repetir o resultado ao final de janeiro.

O novo recorde quinzenal foi gerado por boas condições hidrológicas, alta demanda por eletricidade no Brasil e Paraguai e disponibilidade de equipamentos de geração e transmissão.

SOBRADINHO

De acordo com informações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) da última segunda-feira (15), o volume do Reservatório de Sobradinho – responsável por 58,26% da geração elétrica do subsistema do Nordeste – está em 11,59%. Em meados de novembro, a barragem quase entrou em colapso quando atingiu o patamar de 2,4% do seu volume morto, quando não é possível gerar energia elétrica.

A Usina Hidrelétrica de Sobradinho (UHE) está localizada no Rio São Francisco, na Bahia, tem capacidade para gerar 10 mil megawatts (MW) de energia, mas, diante à escassez hídrica, atualmente, só está gerando 1,2 mil MW, em média. A usina é gerida pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e entrará no pacote de privatização do Sistema Eletrobras.

O aumento do volume do reservatório está relacionado a três fatos: o aumento de chuvas no lago de Sobradinho, a diminuição da vazão da UHE que opera em 550 metros cúbicos por segundo e a proibição pela Agência Nacional de Águas (ANA) de captação de água do Rio São Francisco, às quartas-feiras, para o uso pela irrigação e geração de energia.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com